Produção Textual – Consciência Negra

Produção Textual – Consciência Negra

 

Texto I         

 

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.” Nelson Mandela

                                                  

 

Texto II

 

Negro correndo? É ladrão…

“Enquanto os negros forem,como são, tratados feito carne de segunda em açougue de terceira, o Brasil jamais deixará de ser um poço de desigualdade e injustiça social”

André Petry. Veja, 26/01/2005

 

 

Texto III

O caso ficou praticamente restrito ao Rio Grande do Sul, mas é tão emblemático que merecia ter atravessado as fronteiras gaúchas. Foi assim: dois irmãos negros, William e Cristian Flores, de 17 e 24 anos, se encaminhavam ao local onde fariam o vestibular para engenharia mecânica na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. A uns dois quarteirões do prédio, faltando poucos minutos para o fechamento dos portões, os dois resolveram correr para evitar um atraso. No meio do caminho, foram detidos por três policiais, com viatura e arma em punho. Os irmãos, é claro, perderam a prova do vestibular. E por que foram imediatamente percebidos como suspeitos?

Racismo, ora.

Como consolo, talvez os dois estivessem malvestidos, revelando um suspeito contraste com o comum dos vestibulandos? Errado. Vestiam-se como qualquer garoto de classe média como eles próprios, filhos que são de um engenheiro. Quem sabe tenham sido parados pela polícia apenas porque estavam correndo, numa atitude que sugere uma fuga de algum lugar? Errado. Cristian, o mais velho, conta que, como já era tarde, havia “dois ou três” outros jovens correndo em direção ao portão – com a significativa diferença de que eram todos brancos. Sendo inequívoco que o racismo motivou a abordagem policial, talvez restasse o consolo geográfico de que isso só acontece no Rio Grande do Sul, um pedaço do país que os demais brasileiros imaginam totalmente loiro e de olhos azuis e, por isso mesmo, menos tolerante aos negros e mestiços.

Errado, de novo.

O caso mais dramático de racismo e violência policial, essa conjunção da qual 51% dos negros brasileiros já foram vítimas, contra apenas 15% dos brancos, aconteceu em fevereiro do ano passado, em São Paulo. O dentista Flávio Ferreira Sant’Ana voltava do aeroporto, onde embarcara sua namorada, quando foi confundido com um assaltante. Morreu com dois tiros disparados pelos policiais que o abordaram e, depois da tragédia, tentaram montar a farsa habitual: puseram uma arma na mão da vítima para alegar que resistira à prisão a tiros. (A cena é um vício tão recorrente da parcela degenerada da polícia que certamente deve colocar os brasileiros como o povo mais reativo à polícia no mundo(…) Flávio Sant’Ana foi assassinado na maior, mais rica e mais cosmopolita cidade do país por racismo.

( André Petry)

 

Atividades

Com base nos textos acima responda as questões abaixo, tire uma foto e envie no email motozeiros@gmail.com – Gentileza identifique sua atividade.

 

  1. O que é racismo? Pesquise e apresente duas definições para o verbete.

 

 

  1. De acordo com os textos acima, qual grupo social sofre em demasia com o racismo no mundo?

 

 

  1. No Brasil como é visto o racismo? Explique.

 

 

  1. Qual é o Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial, quem estabeleceu esse dia e por quê?

 

 

5.Com base nos textos acima, redija um editorial. Mínimo 45 linhas.

Lembrando: o editorial é um texto veiculado em jornais e revistas e tem como objetivo apresentar fatos que expressam a opinião do jornal ou revista ou até mesmo de seus editores acerca de um determinado assunto atual. O emissor se expressa através da linguagem formal e tem por finalidade convencer o interlocutor a acreditar no que ele está dizendo. O editorial é dividido em três partes: a  Introdução – nela deve ser retratada a  ideia principal do que será discutido.  O desenvolvimento (corpo do editorial) – Nessa parte são expostos todos os argumentos, justificados por comentários e opiniões por parte do próprio jornal acerca do assunto discutido e a conclusão – que  representa o fechamento das ideias antes abordadas, ou seja, geralmente se apresentam as devidas soluções para o problema levantado durante todo o texto, como também, em vez de se pautar por esse aspecto, pode apenas possibilitar que o leitor reflita sobre o assunto.

Faça a leitura dos textos acima e, com base nas informações veiculadas por eles e em seu próprio ponto de vista, redija um editorial que procure responder às perguntas: O Brasil é um país democrático? Existe democracia racial em nosso país?

 

Bons Estudos!

Att,

Prof. Rodrigo César

Deixe uma resposta

Atenção: Preencha todos os campos e informe seu nome completo!